Monday, August 4, 2008

…Mestre sem Cerimónias…Angola em indiferido…e a preto e branco!

Alguém tinha reparado no som do MCK? ….eu, na minha pródiga ignorância ainda não! MC….para quem não sabe é acrónimo de Mestre de Cerimónias….ora cerimónia é coisa que este irmão não faz….não tem nada de timidez o primeiro album deste tipo! Nada daquela atitude “desculpem-lá-eu-quero-entra-nesta-cena-fazer-discos-e-portanto-vou-começar-sem-grandes-invenções” …a abrir a carreira um album cheio de sumo, cheio de som….cheio de africanidade. O video do single promocional tá absolutamente fantástico….podem vê-lo aqui. …a musica chama-se “Atrás do prejuizo” e narra o dia de um jovem angolano, é um conjunto de rimas discursivas….numa dicção clara e não repetitiva….o refrão é cantado por um clássico do Semba Angolano e a conjungação dos dois estilos está….simplesmente….FA-BU-LO-SA!!! …aliás todo o album aproveita a inspiração africana tradicional….e o mais incrivél é que às páginas tantas tás a ouvir um puto altamente criativo a rimar power atrás de power sobre a corrupção e banditismo, sobre a miséria e a degradação e na estrofe seguinte…..uma voz femenina a swingar uma ginga subtil em kimbundo….coisa mágica brother! coisa….mágica! transportamos santanás com os fatos e as gravatas luxuosos e negamos deus com actos ….é uma das coisas mais interessantes que o K(apa) manda logo na introdução do album. MENOS BOM…. ….existe sempre alguma coisa. Tem que ver com alguns maniqueismos do Hip-hop. Tem que ver com a incoerência de dizer “…tou farto de politicas” e fazer letras demasiado politizadas! Tem de ver com um certo sentimento de que o estado de coisas é negativo, uma certa procura de coisas más, de negativismo….é centrar o acto de cantar numa forma impositiva de afirmação…de a todo o transe comunicar algo de decisivo…importante….pela ruptura….um apelo à mudança….isso geralmente conduz ao radicalismo e é acima de tudo VULGAR(UCHO)….é pequeno…comezinho e insuficiente!. Mano!….se lêres isto atenta no seguinte….a arte é uma forma de expressão que se justifica por si própria, o acto de criar é em si magia pura….a maneira como geres a métrica das tuas letras, a fusão com as raizes do povo….a forma como agarras a linguagem….ampla, diversa e a misturas com com a pronuncia de bairro e os termos do calão de rua já basta!….não é preciso teres razão nas frases ue metes nas canções…agarra bem esse caminho de esclarecimento entre a sofisticação citadina e o rusticismo tribal….a dicotomia entre a urbanidade e a dificuldade de um percurso limpo….estrofe a estrofe!! ….isto claro dito por um gajo que não sabe nada de musica! fonte: http://pedromoraiscardoso.wordpress.com

1 comment:

Pedro said...

Brother;

para mim é um elogio achares que vale a pena usares um texto meu no teu blogue.

Muito obrigado....mesmo, o meu mail é pedromoraiscardoso@gmail.com e gostava que mantivesses contacto...se tiveres interesse.

tipo...és angolano?....és musico?...conheces o K?....precisas de contactos desse ppl?

parabéns pela iniciativa e obrigado

Pedro

 
Locations of visitors to this page